11 de ago de 2013

Vida de Sereia - Part 1

Acordei no meu primeiro dia ali renovada, literalmente! Mesmo tendo dormido no sofá... O ar puro de Isla Paradiso me fazia bem. Longe daquele ar fumaçado de Bridgeport.
Lua ainda dormia. Não quis acorda-la como uma selvagem, havia uma forma muito mais divertida e simpatica para acordar uma pessoa tão querida... com um cheirinho de comida!
 Fui imediatamente para a cozinha, preparar algo para ela. Havia poucas alternativas por causa dos ingredientes. Alem do mais, uma Sereia não precisava de coisas como carnes vermelhas, e alguns vegetais. Ela tinha sua preferencia por Peixes e algas marinhas... mas eu não! A cozinha dela era estupidamente bela... me deu uma certa invejinha...
 Entre os famosos e suculentos Sushi's, preferi fazer uma lagosta... era o que estava disponível para mim. Nada melhor que um toque da vida de luxo de Bridgeport com a vida praiana de Isla Paradiso.
 A comida havia ficado com uma qualidade razoável. Havia sido minha primeira vez na pratica!
 E foi como eu esperava, Lua surgiu rapidamente após o cheiro da comida infestar a casa. O cheiro realmente estava ótimo.
 Lanchamos juntas. Recebi alguns elogios, mas sentia que aquilo ainda não estava perfeito. Sou perfeccionista em algumas coisas. E durante nossas conversas, ela falou como era lindo o mundo marinho. Eu nunca havia ido lá... Motivos clássicos: Tenho medo de tubarões.
 - Relaxa Líria, existem umas algas especiais que te dão caldas de sereias! É só comer uma e ir ao fundo do mar comigo. É tão belo.
- Isso é mesmo confiável? Quanto tempo irei ficar com calda?
- Só por umas horas. Super Confiável!
- Okay...
 No fim, concordei. E quando ela me trouxe a alga, comi imediatamente. E senti tudo mudar, e em seguida, um corpo um pouco "diferente". Lua estava entusiasmada com a situação.
  E em seguida, fomos direto para a piscina, onde Lua começou a me ensinar como nadar com a nova "calda".
O sol ainda nem havia surgido no ceu, e já tinha uma visita na casa. Possivelmente um "convidado" da minha irmã. Era um homem alto e muito musculoso. E claro, fui imediatamente falar com ele. Ele era um tritão. Um tritão muito do gostoso, digamos. Mesmo não curtindo homens musculosos, aquelas curvas rudes do corpo dele me deixava muito... impressionada! Frederico jamais havia me deixado tão tensa como esse novo homem. Ele era tão galenteador, que quando me convidou para nadar com ele, nem pensei duas vezes antes de responder que "Sim, claro, porque não?"
 E como topado, nos encontrados, os três, em um ponto de mergulho...
 Minha primeira experiencia dentro da água, havia sido perfeita!
 Logo ele começou a me dar "aulas" sobre caldas, peixes, nado, tudo.
Depois daquilo, subimos para a superfície, onde havia uma pequena ilha deserta. Onde lá, ele me beijou.
 E depois de algumas horas de caricias, resolvi voltar pra casa. Aquela traição havia passado dos limites! Fui imediatamente para a casa, nadando mesmo...

10 de ago de 2013

Isla!

 Os últimos dias haviam sido ótimos, mas claro, sem Fred. Aproveitei, e dei um toque pessoal no 1° andar da nova casa... E depois de estar quase tudo pronto, passei meus dias apenas no trabalho, e é claro, curtindo a nova casa.
 Em uma noitinha, fiquei pensando sobre tudo, e acabei tendo recordações do passado... Lembrando do tempo em que eu era "livre"... a época em que eu não tinha que viver como um pássaro numa gaiola chamada "Frederico". Já era hora de dar um tempo a aquela solidão.
 Frederico jamais aceitaria que eu fosse viajar. Então resolvi ir escondida. No meio de uma noite, enquanto ele dormia. Arrumei minhas coisas, e parti. Mal pensando nas consequências que aquilo poderia gerar.
 Acabei viajando até Isla Paradiso, onde minha mãe e irmã moravam... Minha mãe era uma bruxa, enquanto minha irmã, uma sereia. Minha família era composta apenas por seres sobrenaturais... Mas eu, havia renegado a magia, para poder viver com Frederico.
Tive que alugar um barco para chegar até onde elas moravam! Já que era em uma das famosas ilhas de Isla Paradiso...
 Como o esperado, a casa que elas moravam, ainda estava lá, e pelo que parecia, elas ainda moravam na mesma "casinha humilde" da ilha. Ou pelo menos eu pensava que sim...
 Eu, certamente, não estava segura... 
 E logo ao chegar perto da casa, Lua, minha irmã mais velha, surgiu, me cumprimentando. Sim, ela era mais baixinha. E aquela casa, estava totalmente diferente da ultima vez que a vi!
- Líria, não esperava que você viesse! Mas, irá ficar por quanto tempo? - Ela perguntou um pouco... curiosa.
- Precisei dar uma fugidinha da vida que levava... Queria saber como anda vivendo você e a mamãe... e pelo visto, parece estar tudo bem contigo!
- Haha... pelo visto, a vida como humana não tem sido muito boa para ti... com esse cabelo sem cor... sem vida! porque não aplicar uma corzinha?
- Faz tanto tempo que estou com essa cor... mas tudo bem...
  E depois de algumas horas de cuidados, lá estava minha nova cor capilar. Na verdade, não era nada nova! Não passava da cor original do meu cabelo... E enquanto me olhava no espelho, sentia-me como antigamente: uma adolescente vivendo nas praias tropicais de Isla Paradiso.


"Casa da Praia" por FrauEngel

2 de ago de 2013

Um dia nem tão ruim!

 Depois de ter sido deixada ali, sozinha, na chuva, voltei para o apartamento. Fiquei um pouco chatiada, e precisava fazer algo para esquecer o acontecido. Eu já conhecia Bridgeport (antes de morar em Barnacle Bay, morei em Bridgeport).
"Preciso arranjar um emprego urgentemente" - Pensei, enquanto preparava o jantar. Eu já havia trabalhado antes de conhecer Frederico, mas depois que comecei a morar na casa dele, ele me pediu para parar de trabalhar, pois eu não precisava mais. Eu cozinhava moderadamente, não sabia fazer todo tipo de comida, mas sabia fazer o básico. "Talvez trabalhar em um restaurante, não seja ruim!" - Pensei.
 Frederico não apareceu para o jantar... Como eu já esperava.
 Então, revolvi procurar algum emprego bom nos classificados no computador dele, e achei um emprego simples de Figurante em um grande filme, trabalhava pela tarde, no mesmo turno que Frederico trabalhava, seria bom ele não saber sobre isso.
 Depois de enviar um currículo, fui tomar banho. Pelo menos naquele apartamento tinha banheira para me relaxar...
 Não esperei Frederico voltar... Fui dormir sem ele. Havia sido o pior dia do ano para mim! Longe dele, sozinha.
 Quando acordei, ele estava ao meu lado. Mas ele acordou logo em seguida. E advinhem para que? Trabalhar, claro.

 Ele se vestiu rapidamente para trabalhar, mas antes de sair, não deixou de falar comigo. Sempre com seu jeitinho que me encantava.
- Bebe, vou ter que ir trabalhar. Você vai ficar bem, né?
- Oh, claro... ficarei bem, flor.
 Ele me beijou em seguida, como antigamente. Era uma das coisas que não me deixava desapaixonar por aquela personalidade viciada em trabalho.
 Antes de ele me soltar, perguntei:
- Você vai voltar para jantar?
- Farei o possível, meu amor.
- Irei lhe esperar...
- Amor, não se preocupe, saia, faça amizades... Quero que se sinta em casa... E, veja se encontre uma casa maior! Esse apartamento é muito pequeno para duas pessoas.
- Claro, Querido.
 E depois, ele saiu... Sem nem esperar eu preparar o café da manhã. Já esperava por isso. Depois daquilo, tomei o café da manhã sozinha, tomei um banho, escolhi uma boa roupa, arrumei o cabelo, me produzido toda e enfim, sai. Mas até eu estar pronta, já havia anoitecido. Não tenho mundo censo de moda, deixar isso claro!
 Passei a noite curtindo, até cheguei a entrar em uma banheira de hidromassagem! Alem de conhecer algumas pessoas legais.
 Mas minha noite terminou em um parque... Sim, amanheci ainda acordada, em um parque...
 E ao lembrar da hora, sai correndo para o apartamento. Já não esperava encontrar Frederico em casa.
 Mas quando cheguei, ele ainda estava lá, preocupado... E por causa da minha "noitada", discutimos pela primeira vez.
 Mas depois, se desculpou. Me fazendo prometer não repetir novamente.
 Parecia até que ele não iria trabalhar hoje... quando ele começou a falar.
- Sabe, ontem, enquanto ia fazer uma machete sobre uma celebridade local, avistei uma casa... digamos, ótima. Gostaria de vê-la?
- Oh amor, claro. Devo concordar que esse apartamento é pequeno demais!
 Nos arrumamos, e saímos imediatamente. Uma limusine nos esperava. Fiquei encantada... Acostumada a ver apenas as celebridades andando de limusine por Bridgeport, me senti como uma.
 Quando vi a casa, simplesmente adorei. Não era o que eu esperava, mas era ótima ainda sim.
 Entrei nela, adorando tudo. Abracei Frederico bem alegre. Quando ele disse que agora aquela casa era minha.
- E então, como vai querer comemorar isso?
- Sugere algo?
 Então aquilo terminou em um momento só nosso... e o melhor, ele ignorando o maltido celular!

31 de jul de 2013

Um novo lar

 Depois de ter noivado com Frederico Madasco, tive que vir morar em Bridgeport. Ele havia recebido uma proposta de emprego em um grande jornal de Bridgeport. Sair de Barnacle Bay não havia sido a melhor escolha, mas eu ainda não havia percebido isso.
 Frederico, certamente, uma pessoa atenciosa e educada, principalmente. Mas faz qualquer coisa pelo seu emprego, e se precisasse terminar comigo para manter-se, eu já não duvidaria de que ficaria solteira rapidamente...
 Nos mudamos para o apartamento antigo de estagiario dele. Foi o apartamento mais simples que já estive, mas era até bonitinho para um apartamento abandonado. Ele deixou eu redecorar o apartamento com nossos antigos moveis e objetos. Mas preferi não mexer em nada, pois já estava bom daquele jeito.
 Naquela tarde, ele me convidou para passear pela cidade. Eu feliz, aceitei. Me recordo dos momentos em que o trabalho dele não influenciava em nosso relacionamento... era apenas eu e ele, juntos, apenas.
 Seguimos até uma praça local, mas na metade do caminho, o celular dele tocou. Era o chefe dele.
 Já era de se esperar. Mas fiquei chocada quando ele entrou em um táxi e me deixou ali sozinha. Aquele exato momento em que me pergunto se aquele homem era o certo para mim. Mas a resposta no meu coração era sempre sim.