31 de jul de 2013

Um novo lar

 Depois de ter noivado com Frederico Madasco, tive que vir morar em Bridgeport. Ele havia recebido uma proposta de emprego em um grande jornal de Bridgeport. Sair de Barnacle Bay não havia sido a melhor escolha, mas eu ainda não havia percebido isso.
 Frederico, certamente, uma pessoa atenciosa e educada, principalmente. Mas faz qualquer coisa pelo seu emprego, e se precisasse terminar comigo para manter-se, eu já não duvidaria de que ficaria solteira rapidamente...
 Nos mudamos para o apartamento antigo de estagiario dele. Foi o apartamento mais simples que já estive, mas era até bonitinho para um apartamento abandonado. Ele deixou eu redecorar o apartamento com nossos antigos moveis e objetos. Mas preferi não mexer em nada, pois já estava bom daquele jeito.
 Naquela tarde, ele me convidou para passear pela cidade. Eu feliz, aceitei. Me recordo dos momentos em que o trabalho dele não influenciava em nosso relacionamento... era apenas eu e ele, juntos, apenas.
 Seguimos até uma praça local, mas na metade do caminho, o celular dele tocou. Era o chefe dele.
 Já era de se esperar. Mas fiquei chocada quando ele entrou em um táxi e me deixou ali sozinha. Aquele exato momento em que me pergunto se aquele homem era o certo para mim. Mas a resposta no meu coração era sempre sim.

6 comentários:

  1. OMG...Simplesmente adorei o capítulo!
    Coitada de Líria não deve ser nada fácil conviver com um marido que só pensa em trabalho...Mas fazer o que?Ela o ama,não é mesmo?!

    http://mallusim.blogspot.com.br/
    Beijos,Mallu!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!
      Pois é... Quando se ama alguém, tem que aprender a aguentar os momentos ruins, e os piores ainda!

      Excluir
  2. Você devia esconder o celular dele HAHAHAHAHAHA Ninguém merece ser trocada pelo chef :S

    Adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho meio difícil esconder o celular dele, mas é uma boa ideia \o

      Excluir
  3. Ai que coisa chata!! Eu não sei se eu aguentaria isso não >.<

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem chato isso mesmo, mas fazer o que? Não podemos mudar as pessoas, senão elas perdem sua essencia

      Excluir